Em formação

Plantas em vaso: Codiaeum, Croton, Codiaeum aucubaefolium, Codiaeum borgoriense, espiral em Codiaeum, Codiaeum tiglium, Codiaeum variegatum var. pictum, Codiaeum warrenii

Plantas em vaso: Codiaeum, Croton, Codiaeum aucubaefolium, Codiaeum borgoriense, espiral em Codiaeum, Codiaeum tiglium, Codiaeum variegatum var. pictum, Codiaeum warrenii

Classificação, origem e descrição

Nome comum: Croton.
Tipo: Codiaeum.

Família: Euforbiaceae.

Etimologia: Alguns autores afirmam que o nome deriva do kodiho malaio.
proveniência: vem das ilhas do Pacífico (Ceilão), bem como do sul da Índia e da Malásia.

Descrição das espécies: inclui 15 espécies de plantas perenes, das quais a mais difundida na Europa é o Codiaeum variegatum. É uma planta comercializada pela beleza da folhagem de várias cores, que para as necessidades de cultivo é adequada para o cultivo em estufas e apartamentos. Existem muitos híbridos e variedades. Nas ilhas do Pacífico, onde também cresce espontaneamente, é usado por suas propriedades medicinais: a casca é indicada em infecções intestinais e também reduzida a pó aromático; as sementes têm propriedades laxantes e são espremidas para obter um óleo; chá de ervas pode ser obtido das folhas.

Codiaeum variegatum (site de fotos)

Espécies e variedades

Codiaeum aucubaefolium: possui folhas grossas e coriáceas, caracterizadas por variações irregulares de amarelo.

Codiaeum borgoriense: possui folhas ovais verde escuro com listras amarelas.

Codiaeum espiral: nativa da Malásia, esta espécie espessa possui folhas estreitas caracterizadas por veias de tons variados, do vermelho ao amarelo.

Codiaeum tiglium: é uma espécie pouco cultivada, com folhas verdes brilhantes ovais, que atingem 2-3 m de altura.

Codiaeum variegatum var. pictum: nativa da Malásia, sul da Índia e Sri Lanka, esta espécie de arbusto atinge 60 cm de altura no apartamento, enquanto em uma estufa quente atinge juncos de 1,5 a 3 m. Apresenta folhas alternadas, simples e sem pelos, com consistência semelhante a couro e com uma forma muito variável (de oval a linear), dependendo da variedade. A cor também é muito variável, podendo apresentar, em um fundo geralmente verde-claro, principalmente nas folhas jovens, manchas irregulares que variam de branco a rosa, vermelho, laranja, amarelo, marrom e até enegrecido, acentuadas nas folhas mais velhas. As flores, reunidas em espigas, são pequenas e insignificantes e geralmente são eliminadas, para a vantagem da beleza da folhagem. Existem muitas variedades entre as quais nos lembramos:
- "Benoit Compte": possui folhas amarelas variadas que, com o tempo, assumem tons roxos, sobre fundo verde;
- "Carrierei": com folhas oblongas elípticas, inicialmente de cor verde-amarela, que posteriormente assumem tons escuros, verde-azuladas com centro vermelho;
- “Disraeli”: com folhas longas e lanceoladas com a parte final da espátula verde, com manchas creme-brancas irregulares na página superior e tonalidades vermelhas na inferior;
- "Eugène Chantrier": com folhas de cor verde intensa riscadas de vermelho-púrpura que, posteriormente, assumem tons enegrecidos com estrias vermelho-violeta;
- “Interruptum elegans”: com finas folhas amarelo-rosa;
- “Punctatum aureum”: uma das variedades mais resistentes, com folhas verdes finas com pontuação em creme branco ou amarelo claro;
- "Reidii": folhas verdes ovadas, oblongas, curvas e onduladas, com nervuras que, inicialmente de cor creme, assumem tons vermelhos claros com o envelhecimento;
- "Undulatum": folhas onduladas verde-escuras, com manchas irregulares, inicialmente amarelas e depois vermelhas.

Codiaeum warrenii: nativa da Malásia, essa espécie tem uma aparência arbustiva, mas o tamanho que costuma atingir faz com que pareça muito com uma árvore. Possui folhas de cores diferentes, dependendo do estágio em que se encontram: quando jovens são verdes com veias amarelas; com o tempo, tendem a adquirir uma cor enegrecida com veias vermelhas.

Codiaeum variegatum (site de fotos)

Requisitos ambientais, substrato, fertilizações e precauções especiais

Temperatura: a temperatura ideal está entre 18-21 ° C e, em qualquer caso, nunca deve ser inferior a 15-16 ° C. Eles podem tolerar períodos curtos até 13 ° C, tendo em mente que uma queda na temperatura fará com que o crescimento desacelere. Eles não toleram mudanças repentinas de temperatura e grandes faixas de temperatura, bem como correntes de ar.
Luz: para manter e melhorar a coloração das folhas, essas plantas requerem uma exibição muito brilhante, especialmente as variedades em tons de vermelho. Os crótons também toleram os raios solares diretos, mas é preciso ter cuidado para fornecer posições sombreadas nos meses e horas mais quentes e quando as folhas estão molhadas (para evitar queimaduras). Na falta de iluminação adequada, as folhas tendem a perder a cor.
Rega e umidade ambiental: a rega deve ser abundante no verão (períodos secos fazem com que as folhas caiam) e reduzida no inverno. A umidade ambiental deve ser a mais alta possível, aumentada pulverizando e pulverizando a folhagem (usando água à temperatura ambiente) e mantendo as plantas em bacias com cascalho úmido.
Substrato: mistura composta de folhas maduras e turfa em partes iguais, com adição de areia.
Fertilizações e truques especiais: durante o verão, é bom administrar fertilizantes líquidos a cada 2-3 semanas, para plantas jovens e uma vez por semana, para plantas adultas. Deve-se tomar cuidado para não fertilizar a planta quando o solo estiver seco: o fertilizante seria absorvido muito rapidamente, podendo danificá-la sem reparo. Eles repot todos os anos, até a primavera. É bom limpar frequentemente as folhas com um pano úmido, para eliminar poeira e calcário depositados após a pulverização. Os crotons não gostam de ser movidos com frequência.

Multiplicação e poda

Multiplicação: multiplique por camadas, em madeira madura ou cortando, de madeira semi-madura. No primeiro caso, a nova muda pode ser destacada da mãe assim que as raízes estiverem bem formadas, tendo o cuidado de escolher vasos de tamanho adequado, que serão trocados posteriormente. As estacas podem ser preparadas de março a junho, cortando o topo dos galhos mais robustos com cerca de 7-8 cm de comprimento. Depois de bloquear o vazamento do látex com pó de carbono, eles são plantados em vasos de 5-6 cm de diâmetro, preenchidos com turfa e areia em partes iguais, que serão mantidos em uma caixa de multiplicação à temperatura de 24 ° C, cuidando de de vez em quando para evitar estagnação da umidade. Lembre-se de que o enraizamento geralmente é bastante lento.
Poda: uma poda drástica será necessária apenas quando a planta tiver se desenvolvido de maneira desagradável, com caule longo e poucas folhas esparsas. Nesse caso, em março, todas as hastes devem ser cortadas quase no nível do solo e, depois de bloquear o derramamento de látex com pó de carvão, as plantas são levadas para um local quente e úmido, onde retomarão seu rápido crescimento. Os brotos apicais obtidos por poda podem ser utilizados para obter estacas.

Doenças, pragas e adversidades

- Cochonilhas marrons: localizam-se nas hastes e na parte inferior das folhas e, ao subtrair a seiva da planta, estimulam-na a produzir substâncias açucaradas, que a tornam pegajosa e sujeita ao ataque de fungos e fumigantes. As plantas anexadas são tratadas eliminando fisicamente os parasitas, "lavando" a planta com um pano úmido e tratando-a com anti-mortes. Como alternativa ao produto químico, as partes afetadas podem ser esfregadas com um cotonete úmido com água e álcool.

- Percevejos de algodão: podem atacar plantas, especialmente em climas quentes e secos. Você precisa removê-las, tratar a planta com um produto anticoccídico e aumentar o nível de umidade (a pulverização e a lavagem das folhas permitem eliminar as cochonilhas no estado larval). Como alternativa ao produto químico, as partes afetadas podem ser esfregadas com um cotonete úmido com água e álcool.

- Ácaro vermelho: ataca a página inferior das folhas causando o aparecimento de manchas brancas ou amareladas no início e a descoloração das mesmas posteriormente. Ele se espalha em ambientes quentes e secos. Portanto, é útil aumentar a umidade atmosférica por qualquer meio e pulverizar frequentemente as folhas, assim que os sintomas forem reconhecidos. Em seguida, trate a planta com produtos acaricidas.

- Folhas que murcham e caem: a planta é regada muito ou pouco ou está sujeita a mudanças de temperatura.

- Folhas que perdem suas variações e ficam verdes: a exposição não é brilhante o suficiente.

- Folhas com queimaduras: a planta foi exposta demais à luz solar direta, talvez quando as folhas estavam molhadas.


Vídeo: How To Make a Croton Branch Out: Making Croton Plant Bushy (Pode 2021).