Em formação

Produtos típicos italianos: Cebola branca da Margherita IGP

Produtos típicos italianos: Cebola branca da Margherita IGP

Reconhecimento da UE: Reg: 26/10/2015

Área de produção e história

A área de produção da IGP Cipolla Bianca di Margherita inclui a costa do Adriático que se estende da foz do rio Ofanto até a foz do córrego Candelaro, no território do município de Margherita di Savoia, na província de Barletta-Andria-Trani e nos municípios Zapponeta e Manfredonia, na província de Foggia, na região da Apúlia.

Desde o início do século XIX, uma técnica de cultivo específica se desenvolveu na área de produção da IGP Cipolla Bianca di Margherita, caracterizada pela capacidade de obter as sementes em solo arenoso, criar canteiros, transplantar as mudas protegendo-as da erosão eólica com palha e depois colete-os à mão. Essas mesmas técnicas de cultivo chegaram até os dias atuais. Traços de comercialização da cebola branca de Margherita remontam ao início do século XIX, mas somente a partir de meados do século passado se tornou uma presença importante nos mercados de frutas e legumes italianos, principalmente no período de abril a julho.

Recursos

A cebola branca da Margherita IGP é caracterizada por uma cor branca chamada cristalina e por uma ternura e nitidez particulares, qualidades específicas atribuídas ao produto pela técnica de cultivo específica, desenvolvida em solo arenoso, com um aqüífero muito raso, que permite criar estresse hídrico controlado na cebola, favorecendo a contenção do crescimento da planta e baixo teor de matéria seca.

A IGP de cebola branca da Margherita é caracterizada por bulbos brancos, com sabor doce e suculento, consistência macia e crocante e alto teor de açúcar. Os quatro ecótipos locais têm características específicas: Marzaiola ou Aprilatica é o tipo mais antigo que é colhido a partir de meados de março, tem formato redondo, mas achatado nos pólos; a Maggiaiola, colhida em maio, tem uma forma menos achatada; Giugniese ou Lugliatica é a variedade posterior, é colhida entre junho e meados de julho e tem uma forma decididamente redonda.

Método de produção

O cultivo da IGP Cebola Branca de Margherita é baseado em ecótipos locais auto-reproduzidos, selecionados por várias gerações de agricultores na área. Os ecótipos têm uma adaptabilidade acentuada ao solo e ambiente climático específico, como o desenvolvimento de um sistema radicular adequado para o aprofundamento em solos arenosos. A semeadura é realizada no final de agosto - início de setembro e no transplante de mudas no período entre novembro e fevereiro, a irrigação deve ser proporcional à tendência sazonal das chuvas; o controle de ervas daninhas é permitido com todos os ingredientes ativos autorizados na agricultura integrada. As sementes utilizadas nas novas plantas devem ser produzidas localmente e devem ser obtidas plantando os bulbos selecionados durante a colheita, que é feita à mão. A embalagem é permitida, mas deve ocorrer imediatamente após a colheita, enquanto a reembalagem do produto fora da área de produção é proibida.

Cebola branca da IGP Margherita

Especificações de produção - cebola branca da Margherita IGP

Artigo 1
NOME
A Indicação Geográfica Protegida (IGP) "CEBOLA BRANCA DE MARGHERITA" é reservada para a cebola que atenda aos requisitos estabelecidos por esta especificação.

Artigo 2
CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO
O nome "Cebola branca da Margherita" refere-se à população local de bulbos da espécie Allium cepa L. produzidos na área delimitada pelo art. 3 da disciplina apresentada. É um produto fresco, caracterizado por bulbos brancos, macios e com alto teor de açúcar. De acordo com o período de produção, quatro ecótipos locais diferem:
«Marzaiola» ou «Aprilatica», «Maggiaiola», «Giugniese», «Lugliatica».
Em particular, as características das diferentes seleções são as seguintes:
'Marzaiola' ou 'Aprilatica': tipo precoce (época da colheita de meados de março) com formato achatado nos pólos;
'Maggiaiola': em comparação com a anterior, é menos precoce e a forma é menos achatada (época da colheita, maio);
'Giugniese', 'Lugliatica': são posteriores (período de colheita de junho a meados de julho), têm uma forma mais isodiamétrica.
No momento da coleta, o produto deve ter os seguintes requisitos mensuráveis:
sólidos solúveis: 6,4 - 9,2 mg 100g-1 de peso fresco.
substância seca: 6,2 - 8,9 g. conteúdo por 100 g-1 de peso fresco.
Calibre: de no mínimo mm. 20 a um máximo de 100 mm.
Propriedades físicas: cor branca.

Sabor: doce e suculento. O teor total de açúcares redutores deve ser
superior a 3,8 g 100g-1 de peso fresco.
Consistência: macia e crocante.

É permitida a comercialização de produtos escovados e não escovados.
A presença de areia é permitida no produto não escovado.

Artigo 3
ÁREA DE PRODUÇÃO
A área de produção da "cebola branca Margherita" está localizada ao longo da costa do Adriático, que se estende da foz do rio Ofanto até a foz do córrego Candelaro e inclui a partir do sul:
Território do município de Margherita di Savoia: a área afetada é a faixa costeira que começa na foz do rio Ofanto e é delimitada pelo mar Adriático, pela SP 141 (antiga SS 159 do Salino) até o centro habitado; depois deste último, a área é delimitada pela solução salina e pela fronteira administrativa com o município de Zapponeta, representada por um termo de pedra;
Território do município de Zapponeta: a área afetada é a faixa costeira que começa na fronteira administrativa com o município de Margherita di Savoia e é delimitada pelo mar Adriático, o salino, o pântano "San Floriano", a fronteira administrativa com o município de Cerignola, da SP 77 (ex SS 545) até o cruzamento com a SP 141 (exSS 159 delle Saline), da fronteira administrativa com o município de Manfredonia; Território do município de Manfredonia: a área afetada é a faixa costeira que começa na fronteira administrativa com o município de Zapponeta e é delimitado pelo Mar Adriático, pelo pantanal "Terra Apuliae", pelo trecho da SP 73 (Beccarini), pelo trecho da SP 141 (ex SS 159 delle Saline), limitado à parte que faz fronteira com a área úmida "Lago Salso" , da foz do córrego Candelaro.

Artigo 4
PROVA DE ORIGEM
Cada fase do processo de produção deve ser monitorada, documentando as entradas e saídas de cada uma. Dessa forma, e através do registro em listas especiais, gerenciadas pela estrutura de controle, das parcelas cadastrais nas quais o cultivo é realizado, dos produtores e condicionadores, bem como através do relato oportuno à estrutura de controle das quantidades produzidas, é garantida a rastreabilidade do produto. . Todos os indivíduos, pessoas físicas ou jurídicas, registrados nas listas relevantes, estarão sujeitos a controle pela estrutura de controle, de acordo com as disposições da especificação de produção e o respectivo plano de controle.

Artigo 5
MÉTODO DE OBTENÇÃO
O cultivo é baseado em ecótipos locais autoproduzidos, selecionados por várias gerações de agricultores na área. Os ecótipos têm uma adaptabilidade acentuada ao ambiente pedoclimático específico, como o desenvolvimento de um sistema radicular adequado para o aprofundamento em solos arenosos.
A técnica de cultivo utilizada envolve as seguintes intervenções técnico-culturais:
A - Plantio da safra: semeadura nos canteiros no final de agosto-setembro e transplante das mudas no período entre novembro e fevereiro.
B - Irrigação: a ingestão de irrigação, proporcional à precipitação sazonal e à demanda evapotranspiratória, deve continuar até que as plantas comecem a manifestar o colapso do "pescoço".
C - Controle de pragas e defesa fitossanitária: Todos os princípios autorizados na agricultura integrada são permitidos desde que permitidos pelos regulamentos atuais.
D - Colheita: A maturação geralmente não é simultânea, portanto a colheita pode começar quando pelo menos 50% das plantas possuem folhas curvas. A coleção é feita à mão.
E - Produção de sementes: As sementes usadas para as novas plantas devem ser produzidas localmente e devem ser obtidas plantando os bulbos selecionados durante a colheita.
Para a técnica de cultivo e a defesa fitossanitária, o que é relatado para a produção das lâmpadas permanece válido.
F - Fases pós-colheita: As embalagens devem ser realizadas imediatamente após a coleta na área identificada pelo art. 3 e não é permitido reembalar o produto fora da área geográfica, a fim de impedir que o transporte e o manuseio excessivo do produto a granel causem danos mecânicos, como amassados ​​e ferimentos. Amassados ​​e lesões favorecem o desenvolvimento de bolores e a perda de consistência do bulbo e são responsáveis ​​pela deterioração qualitativa da "cebola branca Margherita".
O produto pode ser embalado em caixas de 10 kg ou 5 kg, em embalagens de 0,5 kg ou 1,0 kg de rede, em bandejas de 1,0 kg, em "tranças" de peso variável com um número mínimo de lâmpadas iguais para 5.

Artigo 6
LIGAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE
Na área de produção da "cebola branca Margherita" indicada no art. 3 dos disciplinaresi essa técnica de cultivo é desenvolvida desde o início do século XIX, caracterizada pela capacidade de obter, em solo arenoso, as sementes (do plantio de bulbos selecionados), para criar mudas e transplantar as mudas obtidas a partir deles, para repará-las contra a erosão. do vento com lapaglia e recolhê-los à mão para não danificar a cebola.
Essa alta especialização foi transmitida ao longo do tempo e permanece intacta até hoje, permitindo aprimorar as características de qualidade da "cebola branca Margherita" e, em particular, a cor branca "cristalina", a maciez, a crocância, a doçura, a beleza da forma, características únicas e reconhecidas.
A área de produção da "Cebola Branca da Margherita" é caracterizada:
- de condições climáticas particularmente amenas durante o inverno - primavera;
- de solo arenoso com a presença de um estrato muito superficial que permita criar um estresse hídrico controlado na planta capaz de promover um crescimento bastante contido da planta e um baixo teor de matéria seca, da qual derivam a crocância e a lasucculência;
- de solo arenoso que, aquecendo rapidamente na primavera, favorece o início da colheita. Além disso, o solo solto não oferece resistência ao desenvolvimento das lâmpadas e, consequentemente, o produto é morfologicamente perfeito nas diversas expressões ecotípicas, sem apresentar defeitos de forma. Finalmente, o crescimento da parte comestível do produto ocorre em uma camada de solo seco, sendo os solos arenosos "auto-mulching", uma condição favorável para a saúde do produto. O solo arenoso também não oferece resistência ao crescimento e permite que uma baixa porcentagem de bulbos verdes seja mantida verde, pois a técnica de cultivo praticada envolve o transplante manual em profundidade que favorece o clareamento completo do produto.
- a leveza do solo, que favorece o clareamento completo do produto que não apresenta defeitos de cor;
Os traços de comercialização da "cebola branca Margherita" datam do início do século XIX, mas foi desde meados do século passado que se tornou uma presença importante nos mercados de frutas e vegetais italianos, principalmente no período de abril a julho.

Artigo 7
CONTROLES
O controle da conformidade do produto com a especificação é realizado pelo organismo de controle CSQA Certificazioni S.r.l., com sede em San Gaetano n. 74 36016 Thiene (VI), telefone:
0445/313011, fax: 0445/313070 e-mail: [email protected]

Artigo 8
MARCAÇÃO
Quando liberado para consumo, o conteúdo de cada embalagem deve ser homogêneo e incluir cebolas do mesmo ecótipo e do mesmo padrão de qualidade.
Os recipientes devem ter as palavras "cebola branca Margherita" I.G.P. acompanhado pelo logotipo da denominação e pelo I.G.P. União. Os contêineres devem conter o nome, nome da empresa, endereço do fabricante e embalador e qualquer outra informação exigida pelos regulamentos de rotulagem atuais. É proibida a adição de qualquer qualificação não expressamente prevista na especificação de produção.
No entanto, é permitido o uso de nomes, nomes de empresas e marcas privadas, desde que não enganem o consumidor.
A descrição do logotipo é relatada: “A forma oval do logotipo lembra o caráter curvo das formas naturais do produto em questão. Dentro de uma moldura verde (C71 M15 Y93K44) é desenhada a paisagem estilizada do local de cultivo (areia, mar e sol), posição central, a imagem da cebola. As cores usadas, céu ciano sombreado, areia (C00M20 Y60 K20) mar sombreado de ciano (C100 M00 Y00 K00) a azul (C100 M80 Y00 K40), o quadro verde exibe a inscrição "cebola branca Margherita" I.G.P. com caráter de Arialgrassetto branco e a silhueta da região de Puglia e um ponto vermelho na área de produção.


Vídeo: Um almoço tipicamente italiano. VLOG de passeio por Lucca (Pode 2021).