Em formação

Bebidas espirituosas: Murta da Sardenha IG

Bebidas espirituosas: Murta da Sardenha IG

Área de produção: é delimitada pelas fronteiras da região autônoma da Sardenha, dentro da qual todas as etapas da produção devem ocorrer, desde a coleta das bagas até o engarrafamento do produto acabado. A murta (Myrtus communis L.) é de fato um arbusto perene típico dos maquis mediterrâneos que cresce espontaneamente nas áreas costeiras da Sardenha e até 600-800 m acima do nível do mar, favorecendo substratos de solo com pH ácido ou neutro.
A ficha técnica do Mirto di Sardegna IG consta do decreto do Ministério das Políticas Agrícolas, Alimentares e Florestais de 2 de julho de 2013 (publicado no Diário Oficial 189 de 13.08.2013).

A indicação geográfica da murta da Sardenha é reservada ao licor obtido na região da Sardenha a partir da infusão hidroalcoólica de bagas de murta (Myrtus communis L.) coletadas e processadas no território da região autônoma da Sardenha.

Fundo

Como em todas as tradições populares, as origens deste produto são incertas. O licor obtido apenas a partir de bagas ou de bagas e folhas faz parte da tradição popular da Sardenha e da Córsega.

Murta da Sardenha IG

Método de produção

Para a produção de Murta da Sardenha IG, a coleta de bagas de murta deve ser realizada diretamente pela planta após atingir a estação e sua maturação completa; estes devem provir da flora espontânea ou de quaisquer cultivos realizados em condições muito próximas às naturais em que a planta vive e vegeta espontaneamente. As bagas devem chegar à fazenda e ser infundidas o mais rápido possível. O congelamento de frutas não é permitido. Bagas inteiras ou trituradas devem ser infundidas em tanques de aço inoxidável, por um período não inferior a 15 dias e não superior a 8 meses, em uma solução hidroalcoólica que tenha um teor alcoólico não inferior a 40% em volume. No final da infusão, a infusão é batida (infusão de flores); água desmineralizada pode ser adicionada às bagas ainda ensopadas, que são batidas após alguns dias (segunda batida). As bagas podem ser adequadamente pressionadas para recuperar a parte líquida (pressionada). As três fases da infusão - flor, segunda batida e prensagem - podem ser combinadas e filtradas para constituir a infusão que é a base para a preparação do licor. O licor é preparado misturando a infusão com álcool e um xarope obtido com água, açúcar e possivelmente mel. A adição de mel é permitida desde que não exceda 15% do peso do açúcar. A água utilizada nesta fase do processo tecnológico deve ser desmineralizada em estações de tratamento por troca iônica ou por osmose reversa. O Mirto di Sardegna IG deve ser comercializado exclusivamente em garrafas de vidro, a fim de preservar totalmente suas características sensoriais. O produto não pode ser engarrafado fora do território da Região Autônoma da Sardenha.

Recursos

O licor Mirto di Sardegna IG é obtido a partir da infusão hidroalcoólica de bagas de murta que atingiram a maturidade total. Seu teor alcoólico varia entre 28 e 36 pontos percentuais em volume. A quantidade mínima de bagas é de 150 g por litro de licor. Não contém corantes ou aromas, é caracterizada por uma cor vermelho rubi, com carimbos inicialmente roxos que tendem ao longo do tempo a desbotar em tons mais quentes. As características organolépticas são avaliadas por um painel de degustação treinado através do uso de um formulário específico de avaliação sensorial; portanto, para poder se gabar dessa denominação, o Mirto di Sardegna IG deve obter uma pontuação média não inferior a 75/100.


Vídeo: Oração em línguas x Mantra (Pode 2021).